Se você trabalha na área de marketing, já deve ter ouvido falar sobre a importância das histórias para a divulgação e crescimento de uma marca, certo? E, diante disso, surgem questionamentos muito comuns. Qual escolher: storytelling x storydoing? O que esses conceitos significam e como eles podem influenciar no sucesso do seu negócio?  

Mas não se preocupe, nós vamos te ajudar! Pensando na  tendência de crescimento da utilização dessa estratégia de marketing, criamos esse artigo com tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Confira!

Storytelling x storydoing: qual é a diferença entre os conceitos?

storytelling é uma estratégia de marketing que vem sendo utilizada pelas empresas. De forma resumida, ele está relacionado à capacidade de contar histórias relevantes e atrativas que ajudem a promover um negócio. Diferente da publicidade tradicional, ele se destaca por sua capacidade de estreitar a relação entre as marcas e seus consumidores.

Neste modelo de comunicação, a história criada é usada como um meio de alcançar e engajar o público. O departamento de marketing das empresas ou as agências responsáveis são encarregados de desenvolverem uma narrativa em formato de campanha publicitária a partir do posicionamento e da imagem que a marca quer transmitir.

Mais importante do que usar as histórias como estratégia de marketing é fazer com que o público as entenda como parte das diretrizes e filosofias de uma empresa. E, diante dessa necessidade, o storydoing surge como uma nova estratégia, para alguns substituindo e, para outros, complementando o storytelling.

Como o próprio nome já sugere, storydoing significa colocar as histórias contadas em ação. Diferente do outro modelo, quando a narrativa é desenvolvida no fim do processo, aqui ela é o começo de tudo. Afinal, essa estratégia está diretamente relacionada com o propósito, causa e até mesmo razão de existência de uma determinada empresa, saindo dos limites do departamento de marketing e engajando os mais diversos colaboradores.

Com o storydoing, o propósito de um negócio deixa de ser materializado por meio de uma história e passa a ser representado em ações concretas realizadas pela empresa em questão. Ou seja, a marca é construída a partir do que ela faz, e não do que diz em suas campanhas publicitárias.

Por que eles são relevantes no marketing atual?

Como já citamos, a utilização de estratégias como storytelling e storydoing têm gerado uma verdadeira revolução nos modelos de marketing atuais. O público está cada vez mais interessado no posicionamento das marcas e, dificilmente, consome de marcas com as quais não se relaciona.

E a relevância desse tipo de estratégia vai muito além dos consumidores. Atitudes individuais movidas por objetivos nobres geram uma onda de ações coletivas que impactam diretamente o mercado, os investidores e os colaboradores do seu negócio. Afinal, todos se sentem mais motivados, inspirados e satisfeitos quando estão diante de uma empresa que trabalha em prol dos seus valores.

Por isso, é preciso ter sempre em mente que o seu negócio precisa se destacar não apenas nos conteúdos e ferramentas utilizadas, mas, principalmente, nas ações realizadas. Esse é o melhor marketing a ser utilizado. Aquele que ultrapassa as barreiras da publicidade e passa a fazer parte do DNA das organizações, trazendo ainda mais credibilidade para as mesmas.

Boas histórias têm o potencial de envolver as pessoas e gerar identificação com as marcas. Por isso, as empresas estão se movimento cada vez mais em direção ao storytelling e storydoing. Dessa forma, é possível se conectar e fidelizar os seus consumidores.

Mas, atenção! Para se destacar não é preciso — e muito menos indicado — engajar o seu público com histórias fantasiosas. As pessoas se sentem frustradas ao descobrirem mentiras relacionadas às suas marcas do coração, o que pode gerar um efeito contrário ao esperado com esse tipo de ação.

Quais são os impactos dessas ações?

Agora que você já sabe o que são e como essas estatégias de marketing são relevantes para o seu negócio, deve estar se perguntando sobre os impactos que elas podem gerar, certo? Bom, o primeiro passo é entender que o storytelling e o storydoing têm potencial para afetar todos ao redor da sua marca, dos consumidores aos colaboradores.

Você sabia, por exemplo, que quando associadas de maneira correta, essas duas estratégias combinadas podem impactar diretamente na decisão de compra e escolha por uma marca? Sim, o comportamento de compra de uma pessoa pode — e é — altamente influenciado pela imagem e mensagem que a empresa transmite.

Isso porque, atualmente, esse processo de seleção está cada vez mais relacionado com o posicionamento das marcas diante do seu público-alvo. E nada melhor do que boas histórias para atrair, gerar identificação e fidelizar os consumidores e colaboradores com a sua marca.

Além disso, utilizar estratégias como o storytelling fazem com que as pessoas se sintam parte de algo maior, trazendo resultados concretos para o negócio. Segundo pesquisas, os colaboradores que conhecem as ações positivas realizadas pela empresa em que trabalham são 300% mais produtivos do que os que não possuem essas informações. É ou não é um número surpreendente?

Mas, para alcançar resultados satisfatórios, é preciso estar atento. Afinal, não basta contar histórias comoventes sem vivenciá-las. E é por isso que o storydoing é tão importante, pois dessa forma, você coloca a narrativa da sua marca em prática e traz ainda mais credibilidade para ela, dando vida ao seu negócio.

Como storytelling e storydoing se associam na prática?

Diferente do que alguns profissionais acreditam, storytelling e storydoing não precisam ser excludentes ou substitutos. Muito pelo contrário, eles funcionam de forma mais eficiente quando são associados por meio de uma estratégia eficiente.

Mas, afinal, como isso acontece na prática? Vamos a alguns exemplos de como é possível aplicar essa estratégia no seu planejamento de marketing.

Imagine a situação: na empresa A, os gestores comunicam para os funcionários que a instituição é socialmente responsável e doa parte de sua receita para entidades que apoiam pessoas carentes. Já na empresa B, os gestores envolvem os colaboradores nessas ações, organizando eventos sociais e levando parte da equipe para conhecer o destino das doações.

Na sua opinião, quem agiu melhor? Ou, quem conseguiu engajar os funcionários de forma mais eficiente? Provavelmente a empresa B. Isso porque, mais importante do que falar é mostrar, é sentir na pele o que é realizado pela organização. E é nesse momento que storytelling e storydoing precisam se unir.

Embora sigam por caminhos de materialização diferentes, ambos utilizam a história como seu motor principal. Por isso, mais importante do que escolher a estratégia a ser usada é encontrar uma narrativa que seja emocionante, criativa e transmita os propósitos da sua marca de maneira eficiente.

Com um pouco de empenho e criatividade, todos podem desenvolver boas histórias. Mas só se destaca quem consegue transformar cada detalhe dessa narrativa em uma ação inovadora, capaz de incluir o público e conduzi-lo a viver experiências marcantes.

Sendo assim, podemos resumir que, para colocar essas estratégias em prática e gerar notoriedade para a sua marca, é preciso muito mais do que contar uma simples história. É necessário focar os esforços em engajar e encantar por meio das ações que ela produz.

Agora que você já sabe tudo sobre storytelling x storydoing, que tal continuar aperfeiçoando o seu conhecimento? Siga as nossas páginas nas redes sociais e fique por dentro das principais novidades e conteúdos exclusivos sobre marketing. Estamos no InstagramLinkedIn e Facebook.

Autor

Escreva um comentário

Share This